domingo, 31 de março de 2013

Jesus Cristo Ressuscitou verdadeiramente! -Páscoa

 
 

* Jesus Cristo Ressuscitou verdadeiramente!
 
                         Aleluia!  Aleluia!  Aleluia!...
 
Oração Pascal:
 
Senhor!
- Abençoa o nosso lar, a nossa família,
os nossos amigos, a nossa comunidade…
- Dá-nos força e coragem para testemunhar o
Teu Amor…
- Ajudai-nos a confortar todos os que sofrem de qualquer mal para que não percam a esperança…
- Dá-nos capacidade para amar mais, para compreender, para perdoar… Assim seja!...
 
* * * *
- Por todos os que desta família partiram para a eternidade ressuscitem em Cristo, Aleluia!
- Por todos os amigos, vizinhos ou outros mais queridos que morreram na esperança da ressurreição. Aleluia!
- CRISTO VIVE, Aleluia!  Aleluia!
 
Paróquia de Nossa Senhora Fátima – 2013

sábado, 30 de março de 2013

BRASÃO DO PAPA EVOCA O SEU PERCURSO DEVIDA

 

 

O brasão e o lema que o Papa Francisco elegeu para o seu pontificado mantêm uma referência ao seu percurso como jesuíta e os símbolos que usou enquanto cardeal e arcebispo de Buenos Aires.
"No essencial, o Papa Francisco decidiu manter o seu brasão anterior, escolhi­do desde a sua consagração episcopal e caracterizado por uma linearidade simples", refere a Santa Sé.
O brasão inclui um escudo azul coberto pelos símbolos da dignidade pontifícia (mitra posicionada entre chaves de ouro e prata entre-cruzadas, unidas por um cordão ver­melho), com o emblema da Co mpanhia de Jesus (jesuí­tas): um sol com as letras IHS, em vermelho, monograma de Cristo. Em baixo encontram-se uma estrela e uma flor de nardo, que simbolizam, res­petivamente a Virgem Maria e São José, patrono da Igreja, neste caso representado de acordo com a iconografia hispânica.
 O lema do novo Papa, "miserando atque eligendo", frase que evoca uma passagem do Evangelho segundo São Mateus: "olhou-o com misericórdia e escolheu-o".
A expressão é retirada de uma homilia de São Beda, o venerável (século VII-VIII),
sendo apresentada como "uma homenagem à miseri­córdia divina".
Este lema e "programa de vida" evoca um episódio da vida do Papa argentino, que na festa de São Mateus, em 1953, "experimentou, com 17 anos de idade, de um modo muito particular, a presença amorosa de Deus na sua vida".
"A seguir a uma confis­são, sentiu o seu coração ser tocado e percebeu a descida da misericórdia de Deus, que com olhar de terno amor o chamava à vida religiosa, no exemplo de Santo Inácio de Loiola"fundador da Compa­nhia de Jesus, refere a nota oficial da Santa Sé.
 
 

Centro de Preparação do Matrimónio Viana do Castelo-CPM

 
O 66° Encontro do C.P.M.,
vai realizar-se nas instalações do Colégio do Minho, de 12 de Abril até 24 de Maio de 2013. As diferentes sessões serão às sextas-feiras pelas 21,30h.
A equipa de casais vai receber os noivos com todo carinho no dia 12 de Abril de 2013,noColégiodoMinho, onde serão preenchidas as fichas de inscrições para este Encontro CPM.
No caso de alguma dúvida, podem contactar o Casal Res­
ponsável Irene e Fernando, através do n° 258 828 477 e 918 232 432, ou Email: josefviana@gmail.com, ou ainda para o Rev. Padre Dr. Antônio Belo, n° 258 829 620.
Os noivos podem iniciar o Encontro nodia 19de Abril, caso surja alguma situação deforça maiorqueosimpe- ça de estarem presentes no dia 12 de Abril.
Devem tomar parte todos os noivos que vão casar-se durante este ano de 2013.
 
 

sexta-feira, 29 de março de 2013

O Bife de Cardielos só para 500 homens e para os do Refeitório Social no Centro de Nª Sª de Fánima, Sábado Santo ao meio-dia


Os de Cardielos, este ano, querem que os do Refeitório Social do nosso Centro

Sociais Paroquial de Nª Sª de Fátima à mesma hora tenham um almoço igual e oferecem os bifes para todos.

Louvável iniciativa…Parabéns…

Será no Sábado Santo ao meio dia.

 

Páscoa: "Bife" pascal senta 500 homens à volta da mesa em Cardielos e Santa Marta de Portuzelo

Viana do Castelo, 20 Mar (Lusa) - Quinhentos homens sentam-se sábado à mesa, em Cardielos e Santa Marta de Portuzelo, Viana do Castelo, para comer o "Bife da Páscoa", cumprindo um ritual iniciado há meio século e onde as mulheres não são admitidas.

Lusa

10:57 Quinta feira, 20 de março de 2008

  

Lusa) - Quinhentos homens sentam-se sábado à mesa, em Cardielos e Santa Marta de Portuzelo, Viana do Castelo, para comer o "Bife da Páscoa", cumprindo um ritual iniciado há meio século e onde as mulheres não são admitidas.

"Aqui, de facto, mulher só entra para cozinhar ou para servir à mesa", refere Manuel Correia, um dos actuais responsáveis pela organização do "Bife" de Cardielos.

Correia recordou que, na edição de 2006, foi feita uma votação, pelo método de "braço no ar", para que a maioria decidisse se a tradição se deveria abrir, ou não, às bocas femininas.

O "não" mereceu 95 por cento dos votos e houve mesmo quem, no meio da confusão, acabasse por levantar os dois braços.

"Não fosse o diabo tecê-las e acabássemos por ter de levar com a presença das mulheres", sustentou Manuel Correia, para quem "foi tudo muito democrático".

Sábado, em Cardielos, em cima da mesa estarão 100 quilos de bife de boi, para alimentar igual número de convivas, o que, em média, dá um quilo de carne para cada um.

"Após um período de Quaresma com vários dias em que a Igreja proíbe expressamente, o consumo de carne, há que tirar a barriga de misérias", acrescenta.

Ali ao lado, em Santa Marta de Portuzelo outros 400 homens repetem ritual idêntico, tendo à sua espera 350 quilos de carne.

"A história do jejum quaresmal é apenas um bom pretexto para um grupo de amigos se sentar à mesa e passar uns bons momentos de convívio", explica Eugénio Cerqueira, da organização.

A tradição do "Bife da Páscoa" começou em Viana do Castelo, na lendária, mas já extinta, Pensão Restaurante Rio Lima, cujo proprietário, o mestre de cozinha Américo Correia, reunia um pequeno número de convivas para degustar a melhor carne dos talhos da cidade, exposta sexta-feira santa à porta dos estabelecimentos.

Em 1973, Américo Correia vendeu essa unidade hoteleira e instalou-se em Cardielos, sua terra natal, onde manteve a tradição, sempre com um número crescente de pessoas à mesa.

Actualmente, o "Bife da Páscoa", em Cardielos, é promovido pelos filhos de Américo Correia, entretanto falecido, realizando-se desde há meia de dúzia de anos na Casa dos Romeiros, no Monte de S. Silvestre.

VCP.

quinta-feira, 28 de março de 2013

Dicionário - Nova recolha de linguarejar,linguajar... Março de 2010

Uma Páscoa com Alma


Viver com Alma

 Viver com Alma é acreditar, confiar plenamente e esperar como quem vive a realidade ao jeito da simplicidade, como a de um pássaro na mão de uma criança porque pula nas nossas veias sangue vivo que ama, que se alegra e se conquista num mundo melhor, do que daquele que nos encontramos envolvidos, e desejámos e sonhámos. Então vive-se mais alegre porque de nós se afastam os medos porque a nossa confiança está apenas em Deus que nos amou e nos acompanha com a força da entrega de Jesus, Seu filho à ignomínia da cruz.

Viver com alma é deixar rastos de esperança a todos os que nos rodeiam!...

É assim que conseguimos vencer as adversidades da vida porque não há traça que corroa, nem animal que coma quem com Deus anda, como o profeta de Deus, Daniel, na cova dos leões.

Viver com Alma é amar-se a si mesmo para amar os outros e amar a Deus.

Esta alegria é profunda e duradoura porque foi Cristo que nos apontou o Caminho, a Verdade e a Vida e que agarramos de alma e coração a este apelo do filho de Deus, nosso Irmão… não pode deixar de saber viver a vida sem a vender ao diabo que atraiçoa, degenera e desvincula da verdadeira cepa, raiz que está em Deus Pai Criador e Senhor de todas as coisas.

Pouca gente hoje acredita no espírito, na vida espiritual e, por isso, se recorre a outros remédios do mundo da psicologia e da psiquiatria porque nunca o diabo fez boa coisa.

Agarrar a vida com corpo e alma é vivê-la na sua plenitude, no dia-a-dia, enquanto se trabalha e enquanto se dorme. Viver com Alma é transmitir alegria e conforto aos outros porque a Alma também se vê e se sente no nosso corpo, mas sobretudo, nas atitudes, gestos e palavras.

Não há idade para viver com alma, não há nem princípio, nem fim, desde que se tenha consciência do que se faz.

Viver com alma é ter Maria no Coração da alma para que esta dê vida aos que têm “dor de alma”.

Vamos nesta Páscoa dar vida à Alma, cantar a Alma porque, por Amor, Deus nos acalma, nos serena, dando-nos luz com a ressurreição de Jesus.

Levando aos outros a alegria do Magnificat de Maria e o Aleluia da Ressurreição de Jesus Cristo que nos libertou definitivamente da noite escura para a luz da sua divina Graça.

Aleluia!!...

 

quarta-feira, 27 de março de 2013

CARTA DOS DIREITOS DA FAMÍLIA - No 30º aniversário


CARTA DOS DIREITOS DA FAMÍLIA -4

    No 30º aniversário

 

Continuando a ( re)ler a Carta dos Direitos da Família , mais concretamente o seu notável  e oportuno Preâmbulo, gostaria de parar no Considerando K .Este refere, explicitamente que

muitas famílias veêm-se obrigadas a viver em situação de pobreza que as impedem de cumprir com dignidade a sua própria missão”.

Mas a  que pobreza se refere aquele Considerando e que se acaba de transcrever?

Não estando no espírito do autor, crê-se que não será abusivo pensar que a pobreza é multimodal, endógena e exógena à própria estrutura familiar. De facto, há inúmeras formas de pobreza  que dificultam ou ,até, impedem ,as famílias de “ cumprir com dignidade a sua própria missão”.

 Missão de ser família a partir da conjugalidade livre e responsavelmente assumida  e que uma sociedade erotizada, hedonista , relativista e egolátrico ameaça, gerando uma cultura divorcista e dilacerante da própria família.

 Missão do acolhimento à vida que uma envolvente cultural, social e económica  ridiculariza e menospreza  e desvaloriza,  fundadores de  uma mentalidade contraceptiva e eugenista, geradora de desprezo pelo direito à vida desde a o momento inicial, a fecundação.

Missão de acolher os velhos e deficientes com a atenção, carinho e apoio que merecem, por serem frágeis e que uma cultura dominante deseja excluir e banir da sociedade, considerando-os um fardo de que é preciso libertarmo-nos.

Missão educativa dos filhos, de que os Pais são tutores muito especiais, dificultada por um sistema de ensino que não reconhece, de facto, que os Pais são os primeiros e principais educadores dos seus filhos e que relativiza / ultrapassa a função do exercício parental.

Missão  de alimentar e alojar  ,com dignidade, todos os membros da família, independentemente da idade  de cada um dos membros da família ,numa sociedade do desperdício e da extravagância, verdadeiros atentados aos que ,talvez por isso, passam fome.

Missão de  viver num lar onde, de acordo com os gostos estéticos de cada um, se possa  viver num ambiente ecológica e culturalmente aceitável e digno.

Face a tantos constrangimentos , sumariamente enunciados, de facto, há muitas famílias a viver em situações de pobreza. E estas impedem as famílias de serem o que devem ser: tempo e espaço de amor, felicidade, partilha, solidariedade, compaixão, abnegação, confiança, ternura … na diferença de cada um que não foi feito para nosso uso, à nossa semelhança, em versão revista e melhorada!

… E há constrangimentos que, se se quiser, podem ser eliminados pois só dependem de … nós e do nosso querer alterar o que deve ser alterado, a bem da família, para que cumpra “ com dignidade a sua própria missão”.

 

Carlos Aguiar Gomes 

 

PARIS – manifestação gigantesca pró- família



PARIS – manifestação gigantesca pró- família

Decorreu  dia 24, em Paris e noutras cidades francesas , uma manifestação gigantesca contra a desnaturalização do casamento ,que o governo de Hollande quer impor.

Centenas de milhar de franceses de diferentes procedências ideológicas e tradições religiosas encheram o centro da capital francesa. Eram visíveis Bispos católicos ,entre eles destacava-se o Cardeal Barbarin, muçulmanos, e ateus reconhecidos .

Democrática e ordeiramente , famílias inteiras ,com cartazes alusivos ao seu protesto e indignação contra a desnaturalização do casamento, como sempre foi reconhecido e aceito por todas as culturas.

”Democraticamente” a polícia acolheu homens,  mulheres e crianças desarmados com descargas brutais de gás lacrimogéneo. Largas centenas de pacíficos cidadãos entre eles muitos eleitos, tiveram de ser socorridas. As suas armas eram simples cartazes!...No país das liberdades, era-lhes vedado o acesso ao Eliseu, como vulgares terroristas ou malfeitores.

A tirania do pensamento único já está a dar sinais do seu querer uniformizar o pensamento dos cidadãos. É esta tirania  que está  a destruir o Ocidente. É a já bem conhecida Ditadura do pensamento único. Quem não estiver disposto, no uso da sua liberdade fundamental, a “embarcar” nesta onda que nos é imposta, sabe-se lá por quem, é ameaçado, psicológica e fisicamente, e a sua vida corre riscos. As agressões durante esta manifestação , são disto um exemplo eloquente.

Não se pode, porém, claudicar. Numa sociedade democrática, não pode admitir Que nos imponham a lógica do unanimismo. Sobretudo, como é o caso, da defesa do direito natural, intrínseco à natureza humana.

As maiorias devem perder o medo de minorias agressivas.Com respeito pelas opiniões dos outros mas sem nos deixarmos calar. E nesta grandiosa manifestação, o que se pedia e tem de continuar a pedir, é o respeito pelo funcionamento natural da espécie humana , no que concerne aos fundamentos mais profundos  da Família: o casamento, como princípio estruturante da mesma, que une um homem a uma mulher, complementares e iguais na diversidade. O pluralismo democrático está ameaçado quando se impede a livre expressão  do pensamento.

 

Carlos Aguiar Gomes

 

 

Festa da Associação das Guias de Portugal, grupo de Viana do Castelo, na igreja da Sagrada Família; Esta senhora é tão só uma grande Senhora, que é a sua Mãe.Helder Gonçalves

Foi um momento muito especial que não teria sido possível sem a colaboração e dedicação do Sr. Padre Coutinho. Muito Obrigada e Bem Haja! Rita Almeida em Festa da Associação das Guias de Portugal, grupo de Viana do Castelo, na igreja da Sagrada Família
 
Muito obrigado, só hoje dei pelo
comentário
 
 
 
em 21-11-2012

Esta senhora é tão só uma grande Senhora, que é a sua Mãe. Que Deus lhe dê muitos anos de vida. Hélder em Quem reconhece esta senhora? Receba um prémio. Tem 48 horas para responder.
 
 
Helder, só hoje vi este comentário teu e acertaste em cheio. Muito obrigado por reconheceres a minha mãe.

Paisagem de Rio Onor

 
Paisagem de Rio Onor
 

 
 
O Estado do Vaticano
O Papa Francisco quer habitar entre os padres na Casa de Santa Marta, em vez do Palácio Apostólico

Calendário Litúrgico

 
Encontrei já não sei onde,
mas vai é muito
 boa
 
 

Hoje na Igreja da Sagrada Família - Academia de Música, Via-Sacra


segunda-feira, 25 de março de 2013

Espanha Terra dos Touros

 
 
Espanha Terra dos Touros
 
 



Fé nos Cafés

 
 
  

Fé nos Cafés
No âmbito do ano da Fé que está a decorrer desde 11 de Outubro a 24 de Novembro, fim do ano litúrgico, anunciado pelo Papa-emérito Bento XVI e aberto com orientações claras pelos bispos… em Viana do Castelo iniciou-se em cada arciprestado com uma só missa num Domingo. Esta Paróquia, desde Outubro, em reunião do CPP para aprovação do plano de atividades para o ano da pastoral paroquial, direcionou várias atividades neste sentido.

Reflexão, formação de adultos, conferências e na Quaresma, catequeses de infância e adolescência, procuraram-se cafés de maior dimensão que costumassem fechar portas às 20H, para serem abertos a um debate sobre a fé, de porta aberta, a crentes e não crentes, crentes de outras confissões religiosas – para servir de base  a uma reflexão sobre “A porta da fé” que é mais âmpla e não tão redutora como era antes do Concílio Vaticano II.

Foi com respeito, diálogo e em ambiente agradável, até de convívio que jovens e adultos marcaram presença, com toda a liberdade e satisfação falarem de problemas relacionados com o tema, com a pessoa humana e sua integridade.

Agradecemos aos gerentes dos cafés: Leitaria do Carmo quase cheio, Ameadela, também com um razoável número de participantes de todas as idades, Conchas com muitos participantes e Opera onde crianças, gente nova e fiéis fizeram o mesmo.

Agradecemos à Rosa Amélia, e sua equipa de leigos, à Conceição Silva e sua equipa, ao Albino Ramalho e sua equipa e ao casal Eira e sua equipa.

Foram os leigos que movimentaram esta fé levada aos cafés e como a porta estava aberta, havia de tudo, desde pessoas formadas em teologia, padres, velhos e novos, filósofos e historiadores, trabalhadores indiferenciados dos diversos níveis de trabalho e do saber, reformados e não reformados. A fé é para todos e pela “fé” se podem vencer muitas coisas e ter-se uma melhor qualidade de vida.

Foi, numa primeira abordagem geral, descoberto que é assunto para continuar, onde normalmente se fala de tudo e até amizades e negócios se fazem, falar da fé em sua maior amplitude é também local onde se pode apreciar e debater aquilo que nos pode até fazer mover montanhas. Deste modo a nossa igreja pode ser a igreja da nova evangelização e ser, na sua terra mais missionária pelo testemunho, enquanto faz caminho, acredita e reza.

Acolitado

 
 
 


A farda do escuteiro
 
 
 
«Não quero saber menos se o escuteiro usa o uniforme ou não, conquanto tenha o coração no seu trabalho e cumpra a Lei do Escuta.» B-P
 A farda do escuteiro cumpre três propósi­tos: promover o espírito de corpo; apelar ao rapaz; distinguir os escuteiros.
O primeiro não é a farda que o proporciona. É o espírito que requer uma farda para que se torne visível. Como tudo no Escutismo, pretende-se que o espírito seja adquirido de dentro para fora e não o contrário, e portanto não é por usar a farda que o jovem vai ganhar espírito de corpo, mas por ter espírito de corpo vai querer manifestá-lo usando uma farda uniforme com os pares.
O segundo é parte do que leva o moço a ser es­cuteiro. O apelo da farda e o desejo de aventura, as únicas coisas que o levam ao Escutismo e as duas coisas que, na sua ausência, o podem levar a sair.
O terceiro é a distinção que leva a que o jovem queira igualar os feitos do irmão mais velho. Ele vê que o outro conquistou insígnias e noites de cam­po, esteve em atividades, é medalhado, sabe de que agrupamento é, de que equipa ou patrulha e quaí o seu cargo. E quer ser assim.
Mas tudo isto deixou de ser importante, o bene­fício da farda para a educação do rapaz, em prol de transmitir uma boa imagem perante a comu­nidade. Afinal à mulher de César não basta sê-lo, tem de parecê-lo.
om isto, ficamos com uma inversão de valores. Se o grupo estiver bem treinado, se o trabalho es­tiver a ser bem feito, o aprumo e a higiene vão ser uma conseqüência natural. Se o chefe precisa dé mostrar um grupo limpinho, com isso sacrificando as vantagens do uso da farda, então não só não está a fazer um bom trabalho como está a trans­mitir uma impressão errada da realidade do seu grupo, mascarando a sua deficiência.
Se realmente têm de ir "bonitinhos" para a missa, é preferível que levem uma muda de roupa limpa num saquinho para vestirem ao domingo. Ou la­vem a farda de véspera. Ou então celebrem a mis­sa em campo, para não chocarem ninguém. Mas não tornem uma ferramenta pedagógica numa coisa para "inglês ver" e deixem os moços usar a farda.
A farda suja-se? Excelente oportunidade para ensinar a lavar e secar a roupa em campo. Cria- -Ihes um sentimento de responsabilidade sobre os seus pertences e ensina-lhes uma habilidade valiosa para o futuro. A farda rasga-se? Excelente oportunidade para ensinar a coser e remendar. Afi­nal não queremos moços consumistas que usam e deitam fora quando estragou. A farda é cara e para durar? Durar o quê, os quatro anos que vai estar na secção até a farda deixar de lhe servir? Quatro anos são mais que suficientes para uma camisa durar alguns abusos.
                                                                                                                                Uma opinião de Pedro Alves, in Flor de Lys de Fevereiro

É um homem de Jesus

 
 

sábado, 23 de março de 2013

Escola dos cavaquinhos


Coral Polifónico no Teatro Sá de Miranda


Ainda o rally dos conventos eno mosteiro de S. Paio

A

Despedida da comunidade das Carmelitas Missionárias Teresianas


D. Armindo Lopes Coelho, S. Vicente de Paulo trazido pelos alemães



O Calvário de Mazarefes


Cónego Correia Seixas fundador do Carmelo de Viana


Alguma vez também faz falta conviver

uma vez também fa

Em Mazarefes em encontro de juventude


Lia, goesa foi uma benemérita do Seminário do Carmo e umna amiga da nossa obra


Pumakalle


sexta-feira, 22 de março de 2013

Joaquim Gomes desde 1979 a animar a liturgia da Paróquia---- Coral Litúrgico

 Coral Litúrgico
 
 

Este sábado, amanhã pelas 21 horas nos cafés: Leitaria do Carmo,Ameadela, Conchas e Opera 2

Este sábado, amanhã pelas 21 horas nos
 
 cafés: Leitaria do Carmo,Ameadela,
 
Conchas e Opera 2
 
 

Concerto de Natal na Igreja da Sagrada Família- Participe

 
 
 
 

Chama do Carmo

 
 
 
CHAMA DO CARMO
 



Jovens,Convívio Paroquial,Rally Conventos, Couto Dornelas, S. Sebastião, Rancho de S. Paulo de Barroselas, Cerveira, Mazarefes,S. Paio , idosos do Centro de Dia, Manuel do Meijão-Arga de Cima, Campo de férias e eucaristia, Areosa em Mazarefes a favor do Berço

 
Jovens da paróquia

 
 
Rally dos Conventos - Aqui era no de S.Paio- Cerveira
 
 
 
Festa de S. Sebastião em Couto Dornelas- Serra
 
do Barroso, 20 de janeiro
 

 
 
Rancho em Mazarefes- S. Paulo-Barroselas,
 
Convívio  Paroquial
 

 
 
Idosos no Centro de Dia
 

 
 
Manuel Meijão
 

 
Rancho no Convívio de Mazarefes

 
Campo de Férias- Eucaristia
 
 
Areosa em Mazarefes a favor do Berço